Sem festa comunidade Santa Clara- Portão promove procissão sábado (07)

A comunidade Santa Clara- Portão interior do município de Júlio de Castilhos, juntamente com o Pároco Padre Olinto Cremonese, convida para procissão em honra a Santa Clara, no dia 07 de agosto. A tradicional Festa de Santa Clara na comunidade do Portão, é suspensa novamente devido a pandemia Covid-19, acontecendo somente a procissão e missa … Leia Mais


Parceria com Jardim das Esculturas dará mais visibilidade ao Turismo de Ivorá

O prefeito de Ivorá, Saulo Piccinin e a secretária Municipal de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, Cheila Zanon estiveram na  última sexta-feira, 23, no Jardim das Esculturas, na Comunidade de São João doe Mellos, Interior de Júlio de Castilhos. Eles foram recebidos pelo artista, proprietário e produtor das esculturas, Rogério Bertoldo e pela administradora  do … Leia Mais


41ª Coxilha Nativista é oficialmente aberta em Cruz Alta

Seguindo todos os protocolos sanitários em relação a Covid-19, nas dependências do Clube Arranca, iniciou na noite de ontem, no formato virtual, a 41ª Coxilha Nativista, edição que canta os duzentos anos de Cruz Alta. A abertura oficial foi marcada pela apresentação da banda da AD/3, com a música “Terra Saudade”. Para apresentar o evento, … Leia Mais



Atualização de protocolos de combate a Covid-19 nas regiões R01 e R02


A partir dessa terça-feira (27), a Associação dos Municípios da Região Central do Estado – AMCENTRO, a qual pertence Júlio de Castilhos, inicia uma nova etapa, flexibilizando o os protocolos restritivos do Plano Regional de Combate a Covid-19.

Entre as mudanças sancionadas, está a permissão de eventos de grande porte e solenidades de colação de grau em ambientes abertos. Porém, é necessário o envio de solicitação para a PMJC, através de autorização do COE Municipal, apresentando as seguintes informações:

– exemplo de como será a organização dos assentos;

– localização das aberturas do local;

– contato de pelo menos um responsável;

– indicação do número de pessoas que irá compor a produção da cerimônia.

Além disso, as missas, cultos e semelhantes também tiveram aumento no limite de ocupação. Agora, podem ser utilizados até 50% dos assentos. Os protocolos referentes aos rodeios, academias, restaurantes com música ao vivo e boates seguem os mesmos que já estão em vigência.

Veja como ficam as regras:

  • Feiras e exposições de grande porte (exposições corporativas, convenções, congressos e similares) – Permitidas em ambientes abertos

  • Solenidades de colação de grau – Permitidas sob aprovação da PMJC, através do COE Municipal. PS.: festas de formatura, seguem os protocolos de “eventos sociais” (com 70 pessoas, no máximo)

  • Missas, cultos e semelhantes – Ocupação máxima de até 50% dos assentos

Confira na íntegra: Plano Regional – Anexo 1 e Plano Regional – Anexo 2

 

Fonte Assessoria imprensa PMJC (Vinicius Ferreira)


Com aumento de 25% na área, plantio do trigo é concluído na Região Central


safra do trigo será maior neste ano na Região Central. São cerca de 14 mil hectares a mais de área plantada em relação a safra passada, quando pouco mais de 56 mil hectares haviam sido utilizados para o plantio do trigo. Para essa safra, em que o plantio que começou em junho e foi concluído há cerca de duas semanas, a área total pulou para pouco menos de 70.100 hectares. 

Dos 35 municípios de abrangência do escritório da Emater na Região Central, 25 deles cultivam o grão. O maior produtor da principal cultura de inverno é Tupanciretã, com 16,2 mil hectares. Em segundo lugar aparece Capão do Cipó, com 14 mil. Em terceiro e quarto lugares, Júlio de Castilhos, com 6,5 mil, e Jari, com 6,2 mil hectares, respectivamente. O quinto é São Francisco de Assis, com 5 mil.

Conforme Luís Fernando Oliveira, engenheiro agrônomo do escritório regional da Emater, o bom valor de mercado, com o saco de 60 quilos vendido a R$ 80 em média, é uma das explicações para o crescimento da área plantada.

Mas pouco antes do início do plantio, a preocupação era que o solo estivesse muito seco, o que atrapalharia. Choveu e isso não foi problema. Agora, no entanto, há um novo temor com as poucas chuvas, o que pode atrapalhar no desenvolvimento das plantas, conforme explica Oliveira.

– As chuvas ocorridas até o momento foram boas. A preocupação daqui para frente é torcer que essas chuvas continuem ocorrendo. Se esses volumes de chuva forem baixos, podemos ter dificuldade em fazer o aproveitamento das adubações nitrogenadas, o que pode acarretar perda de rendimento. Mas, na nossa região ainda está satisfatório por enquanto – detalha o engenheiro.

Apesar dessa preocupação, a estimativa é que o rendimento seja de 55 sacos ou até 3,6 mil quilos por hectare, o que renderia mais de 8,8 milhões de sacos do grão, ou 230 mil toneladas de produção. Com o valor atual do saco do trigo, a projeção é de uma movimentação de até R$ 310 milhões.

A colheita do trigo inicia entre a metade e o final de outubro e é finalizada até o final de novembro. 

 

Fonte Portal GZH 

Foto ilustrativa  reprodução redes sociais/EmaterRS


Doadores de sangue de Santa Maria já podem se inscrever na campanha Doar é Viver


Foto: Luan Martins

Está aberto o cadastro para doadores de sangue de Santa Maria participarem da campanha Doar é Viver, na próxima quarta-feira (28/7). A iniciativa é resultado de uma parceria entre a empresa Otelio Consultoria e Secretaria da Saúde (SES/RS), por meio do Hemocentro do Estado do Rio Grande do Sul (Hemorgs). As inscrições podem ser feitas no Site campanha Doar é Viver

O Hemocentro de Santa Maria atende 16 cidades da região central e atualmente as doações estão abaixo do necessário, com cerca de 30% do ideal, que seria em torno de 60 por dia. O banco de sangue precisa de todos os tipos de sangue, principalmente com fator rh- e O+ .

O objetivo é incentivar a doação de sangue com data marcada, para garantia da reposição dos estoques da rede pública de saúde do Rio Grande do Sul.

Sementes da árvore Moringa, representando a Árvore da Vida, (simbologia bíblica para fecundidade e imortalidade) são entregues aos doadores participantes, em agradecimento à solidariedade e consciência de que a doação salva vidas.

Sobre a Doação de Sangue:

– Até quatro vidas podem ser salvas com uma doação de 30 minutos;
– Todos os tipos de sangue são bem-vindos, mas O- e O+ são os mais necessários;
– O atendimento aos doadores é feito com todo o cuidado e a segurança, seguindo os protocolos sanitários na prevenção ao coronavírus e orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e órgãos sanitários competentes;
– Para doar, basta estar saudável, ter entre 16 e 69 anos, pesar pelo menos 50 quilos e não ter ingerido bebidas alcoólicas 12 horas antes da doação;
– Os interessados podem se cadastrar em www.doareviver.com.br demonstrando interesse na doação. Um integrante da equipe da campanha Doar é Viver entrará em contato para tirar dúvidas e agendar a data;
– Existe a possibilidade de transporte gratuito, conforme avaliação prévia.

Contato da Campanha Doar é Viver por WhatsApp – 051 996991852.

Mais informações sobre doação de sangue em Secretaria da Saúde

 

Fonte SES/RS


Projeto do IFFar mobiliza cidades para criação de Geoparque


a foto, fósseis localizados na cidade de Mata (RS). Fonte: www.mata.rs.gov.br 

Um projeto do IFFar, coordenado pela Pró-reitoria de Extensão, busca promover uma alternativa de turismo sustentável na Região Central do Estado. O objetivo é criar um geoparque envolvendo as cidades de São Pedro do Sul, Mata, Nova Esperança do Sul, Jaguari, São Francisco de Assis e São Vicente do Sul.

O projeto está ainda em fase inicial.  A Pró-reitora de Extensão do IFFar, Ângela Marinho, explica que o momento atual é de diálogo com os poderes Legislativo e Executivo dos municípios envolvidos e que a comunidade também está sendo ouvida ao longo do processo.

Sobre a importância do projeto, Ângela destaca que “a criação do geoparque significa inclusive credenciar os municípios como cidades educadoras. A região tem um grande potencial turístico e ambiental, visando novos arranjos econômicos. Uma das intenções é incentivar o empreendedorismo local a partir do geoturismo”.

Até o final de 2021, a instituição seguirá realizando trâmites de convênios e reuniões visando efetivar parcerias em prol do desenvolvimento humano e econômico, na perspectiva da sustentabilidade, indo ao encontro do Plano de Desenvolvimento Institucional 2019-2026.

Em 2022, a previsão é que sejam realizadas ações de potencial educativo, junto às escolas, e de integração da comunidade. Esse diálogo com a comunidade tem centralidade no potencial dos campi Jaguari e São Vicente do Sul, visando fortalecer as relações institucionais com a região através de ações de ensino, pesquisa e extensão tendo como foco a Agenda 2030.

Conforme a Pró-reitora de Extensão, “o território que se mobiliza para aspirar o selo UNESCO tem a raridade encontrada nos municípios de São Pedro do Sul com os Fósseis do Triássico e principalmente de Mata com suas florestas fossilizadas, locais de reconhecimento internacional. Também agregam muito valor ao território o Cerro do Chapadão (Jaguari), os Cerros do Loreto e Seio da Moça (São Vicente do Sul), a Gruta Nossa Senhora de Fátima e as Cascatas (Nova Esperança do Sul) e o Cerro da Esquina (São Francisco de Assis)”.

Ângela destaca que os campi Jaguari e São Vicente do Sul são parceiros nessa iniciativa. “O IFFar busca estreitar os laços com a comunidade e com o território a partir das ações de extensão, visando fortalecer o ensino e a pesquisa de forma indissociáveis nesse processo, que reúne a um só tempo as temáticas Geoparque, Agenda 2030 e Cidade Educadora. As Prefeituras das cidades de Jaguari, São Vicente do Sul, Nova Esperança do Sul, São Francisco de Assis, Mata e São Pedro do Sul também acolheram a proposta, que conta ainda com o apoio da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)”.

Saiba mais sobre os Geoparques Mundiais da Unesco

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), os Geoparques Mundiais são áreas geográficas unificadas, onde sítios e paisagens de relevância geológica internacional são administrados com base em um conceito holístico de proteção, educação e desenvolvimento sustentável. Segundo o site da Unesco, atualmente, existem 127 Geoparques Mundiais em 35 países, sendo que um deles está no Brasil: o Parque Nacional do Araripe, localizado no Ceará.

Fonte e fotos por:  por Assessoria de Comunicação IFFar


Vigilância em Saúde confirma transmissão comunitária da variante Delta no Rio Grande do Sul


O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) declarou neste sábado (24/7), por meio de comunicado, transmissão comunitária da variante Delta (B.1.617.2) do coronavírus no Rio Grande do Sul. Esta variante foi primeiramente detectada na Índia e teve os dois primeiros casos no Estado registrados na última segunda-feira (19/7), no município de Gramado.

O conceito de transmissão comunitária ou local é definido quando o contágio entre pessoas ocorre no mesmo território, sem histórico de viagem ou sem que seja possível definir a origem da transmissão. Ou seja, não é possível identificar de quem se contraiu a covid-19.

De acordo com a diretora do Cevs, Cynthia Molina Bastos, a confirmação do primeiro caso de Gramado por sequenciamento genético completo pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, e o aumento de prováveis casos de contaminação por essa linhagem identificadas pelo Cevs indicam que há circulação comunitária. “A vacina protege contra essa variante, especialmente após a segunda dose no caso dos imunizantes que precisam de reforço, mas a vacinação não impede que que a pessoa se contamine e siga transmitindo o vírus. Por isso é preciso manter todos os cuidados de proteção contra a covid-19 independente de ter tomado a vacina, principalmente quem possui qualquer fator de risco para complicações da doença”, ressaltou a diretora.

Até o momento, foram confirmados três residentes do Estado com a variante Delta. Os dois primeiros de Gramado, que possuem vínculo e contraíram a covid-19 no município, e um em Nova Bassano, que contraiu a doença em viagem ao Rio de Janeiro. Além deles, o Estado registra outros 11 casos suspeitos: cinco com amostras em análise na Fiocruz (mais um de Gramado, também contactante do primeiro caso confirmado, dois de Sapucaia do Sul, um de Esteio e um de Canoas), e seis amostras que deverão ser enviadas ao laboratório carioca na próxima segunda-feira (29/7), de residentes de Alvorada, Passo Fundo, Esteio, São José dos Ausentes, mais um de Sapucaia do Sul e Santana do Livramento.

O Cevs realiza, pelo Laboratório Central do Estado (Lacen/RS) e pelo Centro de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CDCT), testes preliminares para a identificação desses casos suspeitos, incluindo sequenciamento parcial. As análises determinam se a amostra é uma provável variante de preocupação a partir da identificação de mutações específicas que são diferentes entre os tipos de vírus. Ao serem enviadas para a Fiocruz, as amostras passam por um sequenciamento genômico completo, que fornece detalhes do perfil de mutações e classifica com precisão a linhagem de cada amostra.

“A pandemia não acabou, mas falta pouco. Não vamos permitir que comece tudo novamente”, pediu a diretora Cynthia.

O que já sabemos sobre a Delta
A Delta é uma das chamadas “variantes de preocupação” (VOC, variants of concern na sigla em inglês), pois são variações que trazem alguma mudança no comportamento do vírus. A característica mais marcante da Delta, já comprovada cientificamente, é a maior transmissibilidade.

Quanto a gravidade, ainda não há evidências de que a Delta provoque uma doença mais ou menos agressiva em relação às outras linhagens.

Acompanhe as informações sobre o registro de variantes do coronavírus no painel de vigilância genômica da Secretaria da Saúde (SES).

Leia o comunicado do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) na íntegra.

Casos Delta RS:
1 – GRAMADO (confirmado por sequenciamento genético completo pela Fiocruz);

2 – GRAMADO (confirmado por sequenciamento genético parcial pelo Cevs e vínculo epidemiológico);

3 – NOVA BASSANO (confirmado por sequenciamento genético completo pelo Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), no Rio de Janeiro);

4 – GRAMADO (suspeita epidemiológica, aguardando retorno da Fiocruz);

5 – SAPUCAIA DO SUL (suspeita por sequenciamento genético parcial pelo Cevs, aguardando retorno da Fiocruz);

6 – SAPUCAIA DO SUL (suspeita por sequenciamento genético parcial pelo Cevs, aguardando retorno da Fiocruz);

7 – ESTEIO (suspeita por sequenciamento genético parcial pelo Cevs, aguardando retorno da Fiocruz);

8 – CANOAS (suspeita por sequenciamento genético parcial pelo Cevs, aguardando retorno da Fiocruz);

9 – ALVORADA (suspeita por sequenciamento genético parcial pelo Cevs, será enviada amostra para Fiocruz);

10 – PASSO FUNDO (suspeita por sequenciamento genético parcial pelo Cevs, será enviada amostra para Fiocruz);

11 – ESTEIO (suspeita por sequenciamento genético parcial pelo Cevs, será enviada amostra para Fiocruz);

12 – SÃO JOSÉ DOS AUSENTES (suspeita por sequenciamento genético parcial pelo Cevs, será enviada amostra para Fiocruz);

13 – SAPUCAIA DO SUL (suspeita por sequenciamento genético parcial pelo Cevs, será enviada amostra para Fiocruz);

14 – SANTANA DO LIVRAMENTO (suspeita por sequenciamento genético parcial pelo Cevs, será enviada amostra para Fiocruz).

 

Fonte SES/RS Imagem ilustrativa reprodução redes sociais