Túmulo de Bernardo Boldrini é danificado em cemitério de Santa Maria


Primeiro dia do feriadão de Finados, o sábado (31) foi de movimentação nos cemitérios para realização de homenagens. Só que algumas famílias foram pegas de surpresa no Cemitério Ecumênico Municipal, o maior de Santa Maria, na Região Central. 

Há túmulos que foram alvo de ladrões. Ao caminhar pelos nove hectares do local, é fácil notar diferentes jazigos com letreiros, molduras e adornos faltando. Um dos indícios do vandalismo é que as fotos, retiradas das molduras, foram deixadas próximo aos túmulos. Uma das sepulturas danificadas é do menino Bernardo Uglione Boldrini, morto pela madrasta e pelo pai em Frederico Westphalen em 2014.

O local onde Bernardo está sepultado é muito visitado, inclusive com homenagens prestadas por pessoas que agradecem a ele por graças alcançadas. No mesmo jazigo, estão enterradas a mãe dele, Odilaine, e a avó, Juçara. Do túmulo, foram levados adornos e letras de metal.

Em 30 minutos no Cemitério Ecumênico, a reportagem de GZH conversou com cerca de 10 famílias que lamentavam os danos causados pelos ladrões. Uma delas é a família Oliveira. Foram furtadas todas as letras do jazigo onde estão enterrados os pais das irmãs Lucimara, Iara e Nara.

– É uma dor muito grande chegar e ver isso assim. Tiraram tudo, todas as letras. Arrebentaram tudo. Fizemos tudo com dificuldade. É muita dor chegar e encontrar tudo desse jeito, ainda mais numa data assim – relata, emocionada, Lucimara.

A família vai registrar um boletim de ocorrência pelos furtos.

O que diz a prefeitura

Os cemitérios públicos de Santa Maria estavam fechados para visitação desde março, devido à pandemia. Segundo a prefeitura, o Cemitério Ecumênico tem histórico de ser alvo de ladrões, por isso, a suspeita é que os casos tenham se acumulado ao longo dos últimos meses quando o local estava com acesso restrito.

A prefeitura de Santa Maria se manifestou em nota dizendo que, mesmo nesse período de restrição, foram tomadas medidas para evitar o acesso de vândalos ao espaço. Foi construído um muro na parte dos fundos, e a iluminação e a vigilância também foram reforçadas, com a instalação de câmeras e guardas municipais fixos nos três turnos. Além disso, a manutenção, com corte de grama e limpeza, também seguiu normalmente.

Ainda de acordo com o Executivo, nesse mesmo período, vários registros policiais foram realizados, inclusive com prisões em flagrante. A orientação é para que as pessoas que tiveram avarias em túmulos de familiares preencham um formulário que está disponível na secretaria do cemitério descrevendo os danos. Os casos serão avaliados e encaminhados aos setores responsáveis e à polícia.

Fonte GaúchaZH  foto por: Naiôn Curcino / Agencia RBS