Santa Maria, desapropria prédio da Boate Kiss e concurso para construção de memorial é lançado


Mais dois passos importantes para a construção de um memorial em homenagem às 242 vítimas do incêndio na Boate Kiss foram dados na tarde desta segunda-feira (10): o prefeito Jorge Pozzobom assinou o decreto de desapropriação da área onde funcionava a casa noturna; e, na mesma oportunidade, foi assinado o Acordo de Cooperação entre Prefeitura de Santa Maria, Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM) e o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) para a realização do concurso público nacional para a construção do memorial.

No decreto de desapropriação, onde funcionava a Boate Kiss, ficou definido que o valor pago pelo Município à empresa proprietária do prédio, em 12 parcelas, será de R$ 1,350 milhão. Conforme o chefe do Executivo, até o dia 27 de janeiro de 2018 – data que marca os cinco anos da tragédia – o prédio estará demolido e à disposição da AVTSM. Após assinar o documento, o prefeito entregou as chaves da boate ao presidente da Associação, Sérgio Silva.

“Talvez seja muito pouco, mas com coragem, determinação, amor, e não omissão, estamos cumprindo esta primeira etapa, de desapropriação. Agora, o nosso segundo compromisso é estar, no dia 27 de janeiro de 2018, com o prédio demolido para que possamos lançar a pedra fundamental do memorial”, disse o prefeito Jorge Pozzobom.

Já o Acordo de Cooperação assinado entre Prefeitura, AVTSM e IAB estabelece que o Município seja responsável pela contratação e licitação da empresa que fará o projeto do memorial e da empresa que construirá o mesmo. À AVTSM e ao IAB – que coordenará o concurso – compete a arrecadação de recursos. Os valores serão buscados pela plataforma de captação de recursos (Crowfunding) – financiamento coletivo – ou oriundos de parcerias público-privadas.

Conforme o presidente do Departamento do Rio Grande do Sul do IAB, Rafael Pavan dos Passos, a campanha de captação de recursos iniciará já nos próximos dias. A intenção é que os resultados sejam conhecidos entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018. O concurso, que não envolverá dinheiro público, deve ser lançado em outubro e custar de R$ 150 mil a R$ 250 mil.

“Ressignificar aquele lugar é o mais importante que podemos fazer agora. O IAB se compromete em acompanhar todas as etapas até a conclusão do memorial”, garantiu o presidente do Instituto.

O presidente da AVTSM salientou que este momento, a construção de um memorial em homenagem às vítimas, não era confortável, mas necessário.

“É preciso deixar claro que este não é um momento confortável, porque preferíamos estar com nossos filhos e não pensando em um memorial em homenagem a eles. Mas é importante essa união com Município, com participação da sociedade”, disse Sérgio Silva.

Também participaram do ato, o vice-presidente da AVTSM, José Flávio da Silva; a procuradora geral do Município, Rossana Schuch Boeira; o representante da Eccon Empreendimentos, Paulo Henrique Corrêa da Silva. Ainda, compôs a mesa, a secretária de Educação, Lúcia Madruga, que também coordena o Núcleo de Gestão Estratégica de Acolhimento, que é encarregado de promover a aproximação entre o Poder Público Municipal e a Associação dos familiares e sobreviventes.

SEMINÁRIOS

Para dar suporte à construção do memorial, no próximo mês, dois seminários serão realizados em Santa Maria. O primeiro será para esclarecer o conceito de memorial e, no segundo, deve ser debatida a construção e o que deve ser feito no local. O objetivo é que toda a comunidade envolvida na tragédia possa participar do processo de construção do memorial.

 

Texto: Maurício Araujo (Mtb 17.781)
Fotos: João Alves (Mtb 17.922)