Fique atento: governo federal alerta sobre golpe contra segurados do INSS


Aposentados de todo o Brasil estão na mira de criminosos que usam o telefone para tirar o dinheiro de quem, muitas vezes, já recebe pouco da Previdência Social. O alerta para esse tipo de fraude foi divulgado nesta quarta-feira (15) pela Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda. Estelionatários entram em contato com os segurados fingindo ser do Conselho Nacional de Previdência (CNP).

Em geral, os criminosos dizem ser do conselho – órgão vinculado à Secretaria de Previdência – alegando que o aposentado teria direito a valores atrasados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Quando tudo parece perfeito para o segurado, surge uma condição para se receber o dinheiro: os golpistas solicitam o depósito de determinada quantia em uma conta bancária afirmando ser uma taxa necessária para a liberação do suposto pagamento. É claro que esse valor referente a atrasados não existe.

A Secretaria de Previdência esclarece que todos os serviços e valores a receber, quando realmente existem, são colocados à disposição de forma gratuita aos segurados. Além disso, em nenhuma hipótese, integrantes de conselhos ligados à Secretaria de Previdência ligam para segurados do INSS.

Jamais fornecer os dados pessoais

A Secretaria de Previdência reforça que não solicita dados pessoais dos segurados por e-mail ou telefone, muito menos faz qualquer tipo de cobrança para prestar atendimento. A recomendação oficial aos aposentados é de que não recorram a intermediários para entrar em contato com a Previdência. E, principalmente, não depositem em hipótese alguma qualquer quantia para ter direito a benefício.

O INSS orienta os segurados a não fornecerem dados pessoais a terceiros, já que essas informações podem ser utilizadas para a prática desses crimes. As vítimas desse tipo de abordagem devem registrar boletim de ocorrência na Polícia Civil e comunicar o fato à Ouvidoria do INSS. Para entrar em contato com a Ouvidoria, também é possível ligar para o telefone 135.

Fonte Jornal Diário Gaúcho Foto reprodução redes sociais (ilustrativa)