Realizada a primeira colheita no ensaio com girassol de corte em J.Castilhos

Dia histórico em Júlio de Castilhos/RS: Primeira Colheita no Ensaio com girassol de corte da parceria PhenoGlad/Mansuino Breeding Emotions/Farao Seeds na Escola Nossa Senhora Aparecida:  Na ultima terça-feira (13) foi realizada a primeira colheita de girassol de corte de genética italiana no Ensaio que está sendo conduzido na Escola Estadual de Ensino Fundamental Nossa Senhora … Leia Mais


Final de semana é marcado por ordenações na Diocese de Cruz Alta

Um final de semana agitado e repleto de alegrias. Assim foi na Diocese de Cruz Alta que ganhou um novo sacerdote e dois diáconos permanentes. Na sexta-feira, dia 09 de abril, foi ordenado presbítero Luiz Carlos de Campos, na Catedral, e no sábado, dia 10, foram ordenados Caio Cezar Fernandes de Lima e José Luís … Leia Mais


Apoie a campanha de solidariedade do Rotary ‘Quem tem fome tem pressa’

Considerando que nesse momento crítico da pandemia existem muitas famílias carentes passando fome em nosso município PEDINDO AJUDA, o Rotary Club Júlio de Castilhos Capão da Convenção, Distrito 4660 está promovendo o Projeto Solidário “A Empatia Ajuda e Contagia” e conta com o apoio de todos para colocar alimentos na mesa dos mais necessitados! Todo … Leia Mais


RS ultrapassa, no sábado (10), marca de 2 milhões de doses de vacina contra Covid-19 aplicadas na população

Em Restinga Seca, desde cedo população buscou a vacinação no drive-thru organizado no município  Foto: Divulgação/SES O Rio Grande do Sul ultrapassou, na manhã deste sábado (10/4), a marca de 2 milhões de doses de vacina contra o coronavírus aplicadas na população. Às 10h, o painel de acompanhamento mantido pela Secretaria da Saúde registrava 2.014.073 doses aplicadas – … Leia Mais


Trânsito será interditado na segunda-feira (12/4) na Ponte das Tunas, em Restinga Sêca


Foto: Divulgação Daer

O trânsito de veículos será interditado às 8h de segunda-feira (12/4) na Ponte das Tunas, na ERS-149, entre Restinga Sêca e Formigueiro. O bloqueio é necessário para a revisão da estrutura sobre o Rio Vacacaí, que teve a reforma concluída em março deste ano.

Durante a interrupção, apenas pedestres poderão utilizar a ponte. A previsão é de que o tráfego seja restabelecido ao longo do dia, porém existe a possibilidade de o prazo ser estendido conforme o andamento dos serviços que serão executados no local.

Fonte Daer/RS


Com 264,9 milhões de toneladas, safra 2021 pode superar recorde em 4,2%


Safra da soja – Foto: Gilson Abreu/AEN

A produção agrícola nacional continua a bater recordes. Pela estimativa de março, a safra nacional de grãos de 2021 deve ultrapassar a de 2020 em 10,7 milhões de toneladas (4,2%), somando 264,9 milhões de toneladas. Com destaque para a previsão da soja, que deve atingir mais um marco inédito, 131,8 milhões de toneladas. Além disso, outras culturas vêm crescendo, como a do trigo e da uva. As informações são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgado hoje (8), pelo IBGE.

“A colheita da soja está perto de ser concluída na maioria das unidades da federação, mas está com atraso em relação ao ano anterior, que foi causado pelo plantio tardio devido à estiagem no início da primavera. Com o retorno das chuvas, a partir de dezembro, as lavouras se recuperaram e a cultura se desenvolveu de maneira satisfatória. Embora atualmente o excesso de chuvas venha causando problemas em alguns estados, tanto na colheita quanto no escoamento da safra, restam poucas áreas a serem colhidas e a produção da oleaginosa deverá ficar 8,5% (10,3 milhões de toneladas) acima da de 2020”, explica o gerente da pesquisa, Carlos Barradas.

Segundo o pesquisador, a demanda aquecida e o dólar em alta têm favorecido a comercialização da soja e incentivado os produtores a aumentarem o plantio. No final de março de 2021, a saca de 60 kg do produto foi comercializada a R$ 173,30, 3,49% acima do mês anterior. Na região integrada por Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia (Matopiba), por exemplo, quase todos os estados apresentam aumentos expressivos na produção, como o Piauí (15,6%), a Bahia (7,6%) e o Maranhão (3,8%) – a exceção é o Tocantins (-6,3%).

Além disso, em função do atraso na colheita da soja, a “janela de plantio” do milho 2ª safra foi estreitada, o que pode trazer maior insegurança quanto ao comportamento do clima durante o ciclo dessa cultura.

“Por esse motivo é que está havendo declínio nas estimativas do rendimento médio dessa safra em algumas unidades da federação importantes, como é o caso do Mato Grosso (-8,9%), de Goiás (-8,2%) e do Mato Grosso do Sul (-9,2%). Esses estados conjuntamente devem responder por 68,0% da produção do milho 2ª safra do País em 2021. Caso haja um prolongamento das chuvas durante o outono nesses estados, a safra brasileira de grãos poderá ser ainda maior”, assinala Barradas.

Outra commodity que vem atraindo os produtores é o trigo. Com preços em alta, este cereal de inverno tem se tornado mais atrativo ao cultivo.

“Como importamos quase a metade de todo o trigo que é consumido no país, os preços do cereal acabam muito atrelados ao câmbio e, com a valorização do dólar fazendo os preços subirem, os produtores têm se esforçado para aumentar o cultivo do trigo de modo a substituir parte das importações”, explica Carlos Barradas.

Além dos grãos, cabe destaque também para o aumento na produção de uvas. A estimativa da produção foi de 1,7 milhão de toneladas, crescendo de 4,9% em relação ao mês anterior e de 18,7% em relação a 2020. Isso de deve ao bom rendimento das lavouras. Em março, a produção do Rio Grande do Sul, responsável por 56,5% da safra nacional de uvas, foi reavaliada com crescimento de 8,5% em relação à estimativa anterior e de 29,2% frente a 2020, alcançando 950,2 mil toneladas.

“As condições de estiagem, combinadas com grande amplitude térmica diária, de dias quentes e noites frias, ocorridas no final da primavera e início do verão, não anteciparam o ciclo e foram muito favoráveis para a quantidade e a qualidade enológica das uvas precoces. O consumo de vinho durante a pandemia de Covid-19 cresceu bastante, reduzindo os estoques comercializáveis de uva. Mas as cooperativas do Rio Grande do Sul esperam recompor esses estoques durante o ano, bem como o estoque de passagem até a próxima colheita”, afirma Barradas.

Outras unidades produtoras também esperam crescimento da produção em relação a 2020, como Pernambuco (15,3%) e Bahia (8,9%), estados em que se localiza o Vale do São Francisco e que, junto com o Rio Grande do Sul, respondem por 82,6% da produção nacional de uva. Enquanto no Sul a maior parte das uvas tem como destino a produção de sucos, no Nordeste, a maior parte vai para o consumo de mesa.

Na informação do LSPA de março em relação à de fevereiro, destacaram-se as variações positivas nas produções de trigo (8,1% ou 541,6 mil toneladas), cevada (7,9% ou 31,3 mil toneladas), feijão de 1ª, 2ª e 3ª safra (0,8%, 5,0% e 1,7%, somando 77 mil toneladas), uva (4,9% ou 78,4 mil toneladas), sorgo (2,4% ou 67,5 mil toneladas), soja (1,1% ou 1,4 milhão de toneladas) e arroz (0,9% ou 100,3 mil toneladas). Porém, são esperados declínios na produção do milho de 1ª e 2ª safra (-1,5% e -0,1% ou 471,2 mil toneladas) e da aveia (-0,3% ou 2,5 mil toneladas).

As regiões Sul (13,7%), Sudeste (3,5%), Norte (1,4%) e Nordeste (3,3%) tiveram altas em suas estimativas. Já o Centro-Oeste, que é o maior produtor (45,5% do total), deve ter queda de 0,9%.

Implementado em novembro de 1972, o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) fornece estimativas de área plantada, área colhida, quantidade produzida e rendimento médio de produtos selecionados com base em critérios de importância econômica e social para o país. A pesquisa permite não só o acompanhamento de cada cultura investigada, desde a fase de intenção de plantio até o final da colheita, no ano civil de referência, como também o prognóstico da safra do ano seguinte, para o qual é realizado o levantamento nos meses de outubro, novembro e dezembro.

 

Fonte texto por:  Cristiane Crelier Agência IBGE de Noticias Foto Gilson Abreu/AEN-PR


Aprovada alteração do Calendário Acadêmico da UFSM.


Na tarde da ultima quarta-feira (07), em reunião extraordinária do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), foi aprovada a alteração do Calendário Acadêmico da UFSM. Com as mudanças, as aulas do primeiro semestre de 2021 devem começar em 18 de maio.

Conforme o calendário anterior, o primeiro semestre letivo começaria em 12 de abril. No entanto, ao considerar o cronograma do Sistema de Seleção Unificada (SISU), que é definido pelo Ministério da Educação (MEC), haveria um grande lapso temporal entre o início das aulas para veteranos e calouros. Essa situação motivou a alteração aprovada pelo CEPE. 

De acordo com o reitor da UFSM, Paulo Burmann, “havia um entendimento inicial de que poderíamos começar o semestre letivo de acordo com o calendário aprovado anteriormente, mas em função da dilatação dos prazos do Sisu, se mantivéssemos o que estava aprovado, haveria um descompasso grande que poderia suscitar intranquilidade e insegurança entre nossos estudantes. Precisamos continuar agindo com parcimônia, cuidado e responsabilidade na condução desses processos”, destacou. 

Datas importantes:

  • Início do primeiro semestre de 2021: 18/05

  • Término do primeiro semestre de 2021: 04/09

O novo Calendário Acadêmico em REDE de 2021/01 será disponibilizado posteriormente de forma completa pela Pró-Reitoria de Graduação.  O pró-reitor de graduação, Jerônimo Tybusch, salienta, no entanto, que “o novo calendário está com os mesmos eventos do calendário anterior, apenas com a alteração de datas, pensado para o futuro.” 

Lembrando que em virtude da pandemia de Covid-19, as atividades acadêmicas presenciais seguem suspensas. Situações específicas de estágios e disciplinas práticas devem ser discutidas com as coordenações de cada curso, como já citado anteriormente

Fonte Texto: Paola Jung e Mariana Henriques / Assessoria de Comunicação do Gabinete do Reitor Imagem arquivo UFSM Ilustrativa


Santa Maria lança Campanha de Arrecadação de Equipamentos de Informática parceria com OAB e UFN


Objetivo é arrecadar notebooks, computadores, tablets e smartphones, que serão doados a estudantes da Rede Municipal de Ensino

Para auxiliar os alunos da Rede Municipal de Ensino, a Prefeitura de Santa Maria, por meio da Secretaria de Educação, em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Subseção Santa Maria e com a Universidade Franciscana (UFN), lançou, nesta segunda-feira (5), a Campanha de Arrecadação de Equipamentos de Informática. O objetivo é arrecadar computadores, notebooks, netbooks, smartphones e tablets usados, em bom estado de conservação, que serão doados às crianças e aos adolescentes atendidos pela Rede Municipal que não tenham acesso a esses tipos de equipamento para aulas remotas.

Na Secretaria de Educação, a campanha é liderada pelo Núcleo de Tecnologia Educacional Municipal (NTEM). A coordenadora do NTEM, Maritê Moro Neocatto, conta que, no ano passado, a campanha arrecadou cerca de 100 aparelhos, que foram doados para estudantes da Rede Municipal. Neste ano, a ideia de fazer uma nova edição da campanha partiu de um contato da OAB, por meio da Comissão Especial de Defesa da Infância e Juventude, com a Secretaria de Educação.

“A OAB nos contatou para saber como está o acesso dos nossos alunos às atividades digitais neste período de ensino remoto. Mesmo com a campanha do ano passado, ainda temos algumas crianças e adolescentes sem equipamentos. Esses recebem material impresso das atividades, mas, sabemos que as ferramentas digitais ajudam muito neste momento. Por isso, fazemos o apelo para quem puder, que faça a sua doação. Há casos em que mais de um aluno será beneficiado, já que o equipamento é repassado para as famílias, e irmãos podem utilizar o mesmo computador, tablet ou smartphone”, destaca Maritê.

Os equipamentos doados não precisam estar funcionando, já que os estudantes dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação, da UFN, farão reparos nos aparelhos. Assim, os computadores, notebooks, netbooks, smartphones ou tablets precisam estar em bom estado de conservação.

As doações podem ser feitas de segunda a sexta-feira, em dois pontos da cidade. A sede da OAB Santa Maria, localizada na Alameda Buenos Aires, 323, recebe os equipamentos de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h. Já a Universidade Franciscana recebe as doações no Conjunto 1 – Prédio 1, na Rua dos Andradas, 1.614, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (55) 99682-6261 (OAB) e (55) 99939-6167 (UFN).

ONDE DOAR

Sede da OAB
– Endereço: Alameda Buenos Aires, 323
– Quando: de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h
– Contato: (55) 99682-6261

UFN
– Endereço:
 Rua dos Andradas, 1.614 (Prédio 1, do Conjunto 1)

– Quando: de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h
– Contato: (55) 99939-6167

Texto: Joyce Noronha
Fotos: Divulgação / Prefeitura de Santa Maria PMSM


Esgotadas as fichas para vacinação de pessoas acima de 62 anos em Tupanciretã na manhã da terça (06)


Conforme a Coordenadora de Imunização e Enfermeira, Andrea Appel, essa semana não terão mais vacinas de 1ª dose, somente na próxima semana. As vacinas disponíveis são para a aplicação da 2ª dose, que será no dia 14 de abril, para as pessoas que fizeram a primeira dose.

Na primeira hora da manhã a Coordenadora da Defesa Civil, Vânia Vendruscolo Lopes informou que todas as fichas para a vacinação de hoje, dia 6, estavam esgotadas.

Foram 450 fichas distribuídas, e entre as pessoas havia bastante com 65 anos pra mais, que não puderam comparecer nas outras datas. As vacinas serão aplicadas até as 13 horas de hoje.

Conforme a Coordenadora de Imunização e Enfermeira, Andrea Appel, essa semana não terão mais vacinas de 1ª dose, somente na próxima semana. As vacinas disponíveis são para a aplicação da 2ª dose, que será no dia 14 de abril, para as pessoas que fizeram a 1ª dose no dia 17 de março.

Fonte e foto por; Assessoria de Imprensa PMTupanciretã