Detran/RS alerta para boato sobre cancelamento da CNH

Não haverá cancelamento da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) após 30 dias do vencimento. O alerta é do Detran/RS após identificar novos boatos circulando em grupos de WhatsApp e redes sociais. A Autarquia esclarece que é falsa a informação sobre nova lei que cancela CNH vencida há mais de 30 dias e que não há … Leia Mais


Trabalho é vedado aos menores de 14 anos no Brasil

Nesta segunda-feira (12), é celebrado o Dia Mundial contra do Trabalho Infantil. Para marcar a data, o Ministério do Trabalho promove palestras sobre o panorama dessa prática no País, além da realização de debates sobre a situação de refugiados e o trabalho infantil em contextos de conflito. Também estão previstos concursos artísticos em escolas para incentivar … Leia Mais



(DPVAT) . Seguro obrigatório não exige apuração de culpa

Muita gente não sabe, mas existe um benefício para as vítimas de acidentes de trânsito no Brasil. O Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) indeniza motorista, passageiro ou pedestre que sofre acidente, sem a necessidade de apuração da culpa. Segundo o último registro, de 2015, foram 652.349 indenizações pagas, … Leia Mais


Região em Fotos: Divisa de Itaara e Santa Maria

Vista do Mirante da Estrada do Perau para o Viaduto Menino Deus, conhecido popularmente como “Ponte Garganta do Diabo”, divisa dos Municípios de Itaara e Santa Maria na região central do Rio Grande do Sul. Crédito da Foto Assessoria de imprensa da PM Itaara



Bottas derrota Ferraris e vence 1ª na F1; Massa é 9º


Duas semanas após conquistar a primeira pole position na carreira, Valtteri Bottas conquistou neste domingo (30) seu primeiro triunfo na Fórmula 1. O palco foi o circuito de Sochi, na Rússia.

Depois de ficar a 0s095 da pole position, Valtteri se aproveitou de uma ótima largada para pular na frente das Ferraris de Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen e não perdeu a vantagem em nenhuma das 52 voltas da prova. Estreante da F1 em 2013, Bottas se tornou o 107ª piloto e o quinto finlandês a triunfar na F1.

Vettel ainda tentou incomodar Bottas no final da corrida, mas o finlandês resistiu bem.

Líder do campeonato, Vettel aumentou sua vantagem de sete para 13 pontos para Lewis Hamilton no mundial de pilotos depois de ser o segundo e ver o rival inglês apenas em quarto. Hamilton reclamou durante toda a prova de problemas de temperatura em sua Mercedes.

Em terceiro, Kimi Raikkonen foi para seu primeiro pódio desde o GP da Áustria do ano passado.

Felipe Massa vinha fazendo boa corrida e chegaria em sexto se não tivesse que fazer mais um pit stop no fim da corrida por um furo de pneu. O piloto foi o único na zona de pontos que fez duas paradas e acabou recuando para nono lugar.

O espanhol Fernando Alonso acabou não largando após enfrentar problemas mecânicos com sua McLaren na volta de apresentação. A prova teve uma intervenção do Safety Car após um acidente entre Jolyon Palmer e Romain Grosjean na primeira volta.

A corrida

Antes mesmo da largada, Fernando Alonso parou sua McLaren após reclamar de problemas mecânicos ainda no grid. Estacionando seu MCL32 na entrada do box, o piloto provocou outra volta de apresentação e reduziu a corrida em uma volta.

Na largada, Bottas passou as duas Ferraris e foi para primeiro. Vettel caiu para segundo, com Raikkonen em terceiro. Hamilton se manteve em quarto, enquanto Verstappen subiu para quinto com Massa em sexto.

Logo em seguida, Grosjean e Palmer se tocaram, o que trouxe o Safety Car à pista. Ambos abandonaram.

No retorno, Daniel Ricciardo abandonou com problemas no freio traseiro direito.

Pouco houve na corrida até as primeiras paradas, ocorridas na volta 22. O primeiro dos ponteiros a entrar foi Felipe Massa. O líder Bottas entrou na volta 27, ele foi seguido três voltas depois por Raikkonen e por Hamilton.

Vettel parou na volta 34 e a classificação foi reestabelecida.

O alemão diminuiu bastante a diferença para Valtteri Bottas e pressionou o finlandês pela ponta nas últimas voltas. O piloto da Mercedes, no entanto, resistiu bem.

A próxima etapa da F1 ocorre na Espanha, no dia 14 de maio.

Portal MotorSport


Vettel quebra hegemonia Mercedes e crava pole para GP da Rússia


A Fórmula 1 virou de vez a curva do prateado para o vermelho. Sebastian Vettel devolveu a Ferrari à pole-position com uma volta impecável no GP da Rússia. E a Scuderia fez a primeira fila com Kimi Raikkonen, algo que não acontecia desde 2008. Os vermelhos tiveram boa vantagem para a Mercedes, com a pole do alemão em 1min33s194, enquanto Valtteri Bottas foi apenas terceiro a um décimo de segundo. Lewis Hamilton não encaixou uma boa volta e acabou apenas em quarto.

Vettel levou a pole na eficiência, mais que na velocidade extrema. Na primeira tentativa de todos, Kimi Raikkonen fez uma voltaça e foi o mais rápido. O finlandês estava melhorando ainda mais seu tempo na última tentativa, mas errou na curva final e piorou sua marca. Aí, abriu a porteira para o colega, e líder do campeonato, extrair aquele décimo a mais para puxar a fila. Bottas foi melhor no primeiro setor, ainda era mais rápido no segundo, mas deu tudo errado no terceiro, que é também sua posição. Hamilton nem perto dessa turma da frente chegou.

Kimidera acertar a última curva e largar na pole... Mas fiquei bem na foto!

Kimidera acertar a última curva e largar na pole… Mas fiquei bem na foto!

Massa conseguiu dividir as Red Bull e vai largar em sexto com a Williams

Massa conseguiu dividir as Red Bull e vai largar em sexto com a Williams

Na categoria, carros normais de Fórmula 1, a “pole” foi de Daniel Ricciardo na Red Bull. O australiano precisou fazer a volta no fio da navalha, pois com as longas retas de Sochi, a Williams chegou na briga. Seu amigão Felipe Massa foi o sexto, tirando Max Verstappen da terceira fila e largando na melhor posição do time britânico na temporada. No ritmo de corrida, o brasileiro apostou que poderão surpreender na Rússia.

Com Verstappen em sétimo, sobrou o oitavo posto para o combativo Nico Hulkenberg. Tão combativo, que o alemão resolveu até incomodar a vida de Hamilton na volta de aquecimento do Q3. Abusado, foi para cima e passou a Mercedes, que tentava se posicionar na pista. Não era o dia do tricampeão mundial… A Force India, que evoluiu bastante, mas ainda está longe da Williams, ocupou nono e décimo lugares, com Sérgio Perez à frente de Esteban Ocon.

Alonso foi espetacular para passar do Q1 com a arrastada McLaren

Alonso foi espetacular para passar do Q1 com a arrastada McLaren

Palmer, nem sei mais o que legendar, após mais essa lambança nos treinos

Palmer, nem sei mais o que legendar, após mais essa lambança nos treinos

Na história do Q2, as Toro Rosso se esforçaram muito para entrar no top ten, mas Carlos Sainz ficou a dois milésimos de Esteban Ocon, muito pela cavalaria dos Mercedes contra o Renault do time. Ainda assim, o espanhol foi um promissor décimo primeiro posto, só que perderá três lugares pela lambança do Bahrein. Atrás dele, Lance Stroll, que ainda briga muito com a Williams e não conseguiu o mesmo desempenho de Massa. Ficou à frente, pelo menos, do piloto da casa Daniil Kvyat. Kevin Magnussen arrastou a Haas para o décimo quarto lugar, depois do time experimentar com novos compostos de freio e se perder no setup. Foi melhor que o espanhol Fernando Alonso, que de novo elevou a McLaren muito além do que o carro merecia.

Aliás, no Q1, o bicampeão deu show. Alonso perdia claramente muito tempo no trecho de alta do segundo setor da pista. Por conta disso, buscou no braço e nas curvas do setor 3 a volta para superar Jolyon Palmer e entrar no Q2. Era nítido o carro no limite da aderência e atacando as curvas para compensar a deficiência do motor Honda. O susto foi tão grande para o britânico da Renault, que ele acabou errando e acertando o muro. O grande perdedor do treino, contudo, foi Romain Grosjean, com o francês se perdendo completamente no acerto de freios. Vai largar muito em último.

Confira a classificação:

1

Sebastian Vettel

Ferrari

1m33.194s

2

Kimi Raikkonen

Ferrari

0.059s

3

Valtteri Bottas

Mercedes

0.095s

4

Lewis Hamilton

Mercedes

0.573s

5

Daniel Ricciardo

Red Bull/Renault

1.711s

6

Felipe Massa

Williams/Mercedes

1.916s

7

Max Verstappen

Red Bull/Renault

1.967s

8

Nico Hulkenberg

Renault

2.091s

9

Sergio Perez

Force India/Mercedes

2.143s

10

Esteban Ocon

Force India/Mercedes

2.236s

11

Lance Stroll

Williams/Mercedes

2.770s

12

Daniil Kvyat

Toro Rosso/Renault

2.774s

13

Kevin Magnussen

Haas/Ferrari

2.823s

14

Carlos Sainz

Toro Rosso/Renault

2.754s

15

Fernando Alonso

McLaren/Honda

3.466s

16

Jolyon Palmer

Renault

3.268s

17

Pascal Wehrlein

Sauber/Ferrari

4.138s

18

Marcus Ericsson

Sauber/Ferrari

4.313s

19

Romain Grosjean

Haas/Ferrari

4.426s

20

Stoffel Vandoorne

McLaren/Honda

3.876s

 

Informações Bernardo Bercht  Fotos AFP


Cordeiros nascem saudáveis após quatro semanas em útero artificial


É uma cena digna de Matrix, mas a notícia é boa. No interior de um saco plástico transparente, com a aparência de uma embalagem zip lock, um cordeirinho nascido prematuro termina sua gestação com sucesso fora do corpo da mãe – e ganha uma segunda chance de desenvolver seu cérebro, coração e pulmões no ritmo correto.

O invólucro é preenchido por uma versão sintética do líquido amniótico de um útero real, que é filtrado constantemente. Além de isolar o bebê prematuro das infecções a que seu sistema imunológico seria exposto no ambiente de um hospital, a substância mantém os pulmões do recém-nascido submersos, um pré-requisito para seu desenvolvimento adequado.

A respiração é artificial. Uma máquina do lado de fora da bolsa tira gás carbônico e adiciona oxigênio ao sangue do cordeiro – o líquido entra e sai pelo cordão umbilical impulsionado pelos próprios batimentos cardíacos do filhote, não é preciso bombeá-lo. O método evita danos ao delicado sistema circulatório do feto e simula a troca de gases com a mãe.

Essa experiência com ares de ficção científica foi liderada por Emily Partridge, do Hospital Pediátrico da Filadélfia, nos EUA, e os resultados estão disponíveis no periódico científico Nature Communications. A pesquisa envolveu seis fetos de ovelha.

Todos nasceram entre 105 e 112 dias após o início da gestação – o equivalente a só seis meses na espécie humana. Após quatro semanas no interior do equipamento, todos sobreviveram. Depois do sucesso com os ovinos, a intenção dos pesquisadores é aplicar a tecnologia em maternidades humanas – onde as estatísticas ainda são preocupantes.

No mundo, 75% das mortes de recém-nascidos são culpa de partos prematuros. Bebês que vêm ao mundo com só 23 ou 24 semanas de gestação (nos EUA, essa é a situação de 6% das crianças) morrem em cerca de 40% dos casos.

Entre 20% e 50% dos que sobrevivem passam o resto da vida com deficiências respiratórias – o corpo de uma criança de menos de um quilo não está pronto para lidar com a intubação e a ventilação artificial de uma UTI.

O útero artificial não mudou em nada a saúde e as chances de sobrevivência dos bebês ovelha que “nasceram de novo”. Em outras palavras, não fez diferença para o desenvolvimento e saúde das cobaias passar seis meses na mãe e um na máquina ou sete meses na mãe. Os pesquisadores já deixaram claro, porém, que seria impossível tirar a mãe da equação – a intenção do estudo é simplesmente melhorar as chances de sobrevivência de fetos em urgências médicas.

“Eu fico impressionado toda vez que vejo nossos cordeirinhos”, afirmou à imprensa Alan Flake, coautor do artigo. “É incrível ver o feto no interior do equipamento agindo da maneira como age no útero, e conseguir dar continuidade a uma gestação normal fora da mãe.”

Fonte: Revista Super Interessante.