Selecionadas Dez musicas da fase geral para a final da Coxilha Nativista

Dez musicas da fase geral foram selecionadas para a final, que se apresentam amanhã no palco Jaime Caetano Braun: ? Ranchito [Milonga] – Francisco Brasil, Cristian Camargo e Filipe Corso – Int. Luiz Marenco ? Puerto Irupe [Chamamé] – Nino Zannoni e Luizmauro Pinto da Costa – Porto Alegre/Argentina – Int. Nino Zannoni ? O Campo Nunca nos Mente … Leia Mais


Fase local da Coxilha Nativista divulga as três classificadas para a final

Começou na ultima  quarta-feira (24), mais uma edição do maior festival nativista do Sul do país. A Coxilha Nativista contará com entrada gratuita nas arquibancadas pelo terceiro ano e reunirá grandes vozes da música gaúcha durante os quatro dias de programação.  Em sua 39ª edição, o evento – que jamais teve interrupção durante sua trajetória … Leia Mais



Militares partem de Santa Maria para acolhimento de venezuelanos no norte do Brasil

Um grupo de 131 militares gaúchos parte de Santa Maria nesta segunda-feira (22) para participar de uma ação de recepção aos imigrantes venezuelanos no norte do Brasil. Ao todo, 500 militares do Rio Grande do Sul formarão o Contingente Encouraçado — em Roraima e Amazonas, integrarão a Operação Acolhida, do Exército. A ação visa a receber de maneira humanizada … Leia Mais



Disney cria campanha online para ajudar a preservação de leões


Campanha da Disney em prol dos leões fica disponível até 14 de agosto (Foto: Divulgação/Disney)

Aversão live-action de O Rei Leão chegou aos cinemas mundiais. E para promover o filme, a The Walt Disney Company da América Latina lança a campanha #OCicloSemFim, na qual convida as pessoas a publicarem fotos de um amanhecer ou pôr do sol no Facebook, Instagram e/ou Twitter usando as hashtags #OCicloSemFim e #OReiLeão. 

A cada postagem, a empresa doará US$ 5 para o Wildlife Conservation Network (WCN) e seu programa Lion Recovery Fund (LRF), até atingir US$ 50 mil no total. O objetivo é chamar a atenção para a importância da preservação da espécie para o planeta. O projeto será realizado até o dia 14 de agosto.

Dados do LRF indicam que atualmente, a população de leões em todo o mundo é de 20 mil invíduos, a metade do que existia quando a animação O Rei Leão de 1994 foi lançada. O Fundo para a Preservação da Disney (DCF, na sigla em inglês) busca, com a campanha, proteger os animais e duplicar esse número até 2050. 

Simba em versão de live-action de 'Rei Leão' (Foto: Divulgação)

O rei leão em santa Maria no ultimo sábado levou milhares de pessoas as salas de cinema, como Arcoplex Royal Plaza Avenida Nossa Senhora das Dores  Cinépolis Shopping Praça Nova Santa Maria Rua Irmã Dulce 550 – Loja 1049 97070 Santa Maria

O Rei Leão, da Disney, dirigido por Jon Favreau, retrata uma jornada pela savana africana, onde nasce o futuro rei da Pedra do Reino, Simba. O pequeno leão que idolatra seu pai, o rei Mufasa, é fiel ao seu destino de assumir o reinado. Mas nem todos no reino pensam da mesma maneira. Scar, irmão de Mufasa e ex-herdeiro do trono, tem seus próprios planos. A batalha pela Pedra do Reino é repleta de traição, eventos trágicos e drama, o que acaba resultando no exílio de Simba. Com a ajuda de dois novos e inusitados amigos, Simba terá que crescer e voltar para recuperar o que é seu por direito.

O LRF dá suporte a organizações ambientais que trabalham na África em prol da preservação de leões. Para ter mais informações sobre a campanha, acesse o site www.disneycidadania.com

 

Fonte: Revistagalileu.globo (Divulgação)


Instagram deixa de mostrar número de curtidas das postagens


Usuários da rede social Instagram no Brasil perceberam hoje (17) uma importante mudança. Entre os recursos da plataforma o número de “curtidas”, também conhecidas como “likes” que uma publicação recebe, não fica mais visível para todos os usuários. O tema foi um dos mais discutidos do dia em outra rede social, o Twitter, e esteve entre os mais buscados no Google.

A mudança no Brasil está entre os testes anunciados em abril deste ano durante um evento de desenvolvedores do Facebook, empresa controladora do Instagram.

A experiência faz parte de uma série de medidas que o Instagram vem anunciando nos últimos meses para combater práticas nocivas na rede, como o discurso de ódio ou o bullying na web. Tais ações são uma resposta a críticas recebidas pela plataforma de que sua arquitetura e lógica de funcionamento favoreceriam um ambiente prejudicial ao bem-estar de seus integrantes.

Um estudo da Sociedade Real para a Saúde Pública, realizado em 2017, apontou o Instagram como a pior rede social para o bem-estar e a saúde mental de adolescentes. Segundo o estudo, o Instagram tem impactos importantes em adolescentes, provocando ansiedade, depressão e solidão, além de outros efeitos como na autoimagem dos jovens a partir da lógica das fotos.

Felipe Neto, empresário com canais populares em redes sociais, esteve entre os que vocalizaram essa análise. Ele afirmou que a medida pode mudar a forma como a internet funciona. “O Instagram virou uma rede social tão de fomento à vaidade, ao ego que se transformou em um vírus. É um lugar muito mais negativo do que positivo. Tirar os likes vai ser interessante. Vai ser interessante tirar as disputas”, comentou em um vídeo postado em seus canais.

Além dos testes retirando a visibilidade pública das curtidas, a empresa anunciou algumas outras ações voltadas a coibir essas práticas. Neste mês, em uma nota, o diretor Adam Mosseri informou a implantação de uma ferramenta que usa Inteligência Artificial para questionar o usuário sobre seu conteúdo antes de postá-lo, se o sistema considerar que este pode ser ofensivo.

“Testes preliminares desse recurso mostraram que ele encoraja algumas pessoas a rever os comentários e compartilhar algo que gere menor dano, uma vez que elas tiveram a chance de refletir”, disse Mosseri no comunicado, divulgado no dia 8 de julho.

Fonte Por Jonas Valente -Repórter Agência Brasil Foto Reprodução/Aência Brasil


Faceapp: aplicativo da moda pode roubar dados que você não imaginava


Aplicativo é capaz de coletar diversas informações que vão além das fotos. No Brasil, a lei de proteção de dados entrará em vigor em 2020 para impedir o mal uso das informações.

A não ser que você estivesse isolado e sem energia em uma caverna ou no meio do nada sem nenhum sinal de celular, você deve ter visto na internet uma infinidade de “rostos velhos”, resultados da brincadeira proposta pelo aplicativo Faceapp, que através de filtros aplicado em fotos consegue envelhecer, maquiar e mudar diversos aspectos faciais de quem usa o app. Apesar da brincadeira aparentemente inocente de brincar com fotografias, o aplicativo desenvolvido pela empresa russa Wireless Lab é capaz de recolher diversos dados de seu celular que não são óbvios em um primeiro momento (o app só funciona com a internet ligada por um motivo).

Ao aceitar os termos e condições do aplicativo, o usuário não libera apenas a utilização da fotografia, mas também rastros de sua atividade na web, informações do aparelho, seu IP e metadados. “Usamos ferramentas de análise de terceiros para nos ajudar a medir o tráfego e as tendências de uso do serviço. Estas ferramentas reúnem informação enviada pelo seu dispositivo ou pelo nosso serviço, incluindo as páginas web que visita, add-ons, e outra informação que nos ajude a melhorar o serviço. Reunimos e usamos esta informação analítica juntamente com informação analítica de outros utilizadores, para que não possa ser usada para identificar qualquer utilizador individual em particular”, diz a política de privacidade do aplicativo.

O texto também que explica que o Faceapp não irá alugar ou vender nenhuma informação para terceiros, e que estas só serão usadas pelas empresas que fazem parte do grupo da Wireless Lab. O problema é que a empresa russa é de difícil acesso, e não na internet nenhuma informação sobre outras companhias do grupo. Nem mesmo na Wikipedia há mais detalhes sobre o grupo por trás do Faceapp.

É importante notar que apesar do alto número de informações coletados pelo app, elas não são muito diferentes daqueles coletados pelo Facebook, porém diante do massivo volume de informação enviado para o Faceapp nos últimos dias (é atualmente o aplicativo mais baixado no Google Play e App Store da Apple), é útil mostrar a facilidade que empresas de tecnologia tem hoje de obter nossos dados sem ao menos nos darmos conta.

Quero privacidade de dados. O que fazer?

A questão de privacidade de dados é um problema latente no mundo, e ainda não foi encontrada uma solução mundial para garantir a usuários que suas informações não serão vendidas e utilizadas de maneira errada. Porém o Brasil tem vantagem no assunto graças a Lei Geral de Proteção de Dados, aprovada em 2018 (mas que só entrará em vigor em 2020), que garante ao usuários o controle de suas informações coletadas em território brasileiro.

“Quando a lei entrar em vigor, os controladores precisarão solicitar por explícito a autorização de uso dos dados pessoais e não poderão usar para outros fins, diferentes daqueles que foram autorizados a trabalhar. Outro ponto importante é a possibilidade do titular revogar o uso de seus dados e solicitar ser esquecido. Isso significa que o controlador da ferramenta tem a obrigação de apagar os dados fisicamente,” explica Diego Nogare, Chief Data Officer da Lambda3

Ele também explica que os termos para uso de dados precisarão ser claros e diretos segundo a LGPD a fim de deixar claro para os consumidor para onde vai suas informações. Além disso, a lei garante ao usuário que ele possa pedir um relatório detalhado de onde e como seus dados foram usados pela empresa. Em caso de infração, a LGPD pode aplicar multa de até 2% do faturamento, podendo chegar a até US$ 50 milhões.

Fonte e foto : Da redação Portal Istoedinheiro (reprodução)


Último eclipse lunar de 2019 pode ser visto em Júlio de Castilhos e região


Foi possível acompanhar o último eclipse lunar parcial do ano nesta terça-feira (16/07/2019). No Brasil, o fenômeno poderá ser visto no início da noite, com auge às 18h30. Neste horário na cidade de Júlio de Castilhos, pode ser  pode ser visto nitidamente.

O fenômeno será transmitido ao vivo pelo YouTube no canal Time and Date. 

O eclipse poderá ser visto a partir das 17h01 (horário de Brasília) e, no total, teve duração de mais de cinco horas, parecido com o que ocorreu em janeiro deste ano.

“O eclipse lunar, em geral, dura bastante tempo. Desta vez foi em um horário bom, porque vai ser próximo do pôr do sol, e a Lua vai estar em uma posição relativamente alta no céu”, disse ao G1 Thiago Signorini Gonçalves, astrônomo da UFRJ e membro da Sociedade Astronômica Brasileira.


Cadastro de imprensa da Expointer 2019 começou nesta segunda-feira


Profissionais de comunicação que desejem cobrir a 42ª Expointer já podem se inscrever no cadastro de imprensa para a feira, que foi liberado nesta segunda-feira (15). O cadastro, que ficará disponível até 16 de agosto, é feito de forma separada para imprensa nacional e internacional, neste link.

A retirada das credenciais antes do evento poderá ser feita de 21 a 23 de agosto, na sala 51 da sede da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, em Porto Alegre. Os profissionais que desejarem retirá-las durante a Expointer deverão pagar um ingresso para entrarem no parque e terem acesso à Central de Imprensa, onde serão distribuídas. A retirada das credenciais deverá ser feita pelo responsável do cadastro, mediante apresentação de documento oficial com foto.

Em 2018, a cobertura jornalística da Expointer contou com a participação de 297 veículos de comunicação e 1.881 jornalistas, incluindo profissionais da Argentina, Uruguai, Chile, Espanha, França, China e Turquia.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail [email protected]

Fonte e foto  Secretaria da Agricultura RS