Gaúcho de Santa Maria apresenta o “Jornal Nacional” neste sábado

Fabian Londero e Aline Ferreira, na bancada do “JN”Divulgação / Globo A bancada do Jornal Nacional, mais uma vez, terá uma voz gaúcha. Após Cristina Ranzolin ancorar o telejornal da Globo, no dia 31 de agosto, agora será a vez de Fabian Londero, jornalista de Santa Maria, que terá a missão de trazer as notícias deste sábado … Leia Mais


Por que o dia 12 de outubro foi escolhido como o Dia das Crianças?

12 de Outubro, data que é lembrada e aguardada com ansiedade pelas crianças. É época de ganhar presentes, se divertir com atividades e brincadeiras diferentes na escola, e aproveitar o dia ao máximo. Mas por muito tempo o Dia das Crianças, aqui no Brasil, ficou no esquecimento, mesmo entrando para o calendário oficial. Em 1923, … Leia Mais


Santa Maria se prepara para a 76ª Romaria Estadual da Medianeira.

No dia 10 de novembro Santa Maria sediará o maior evento religioso do estado do Rio Grande do Sul, a 76ª Romaria Estadual da Medianeira, promovida pela Arquidiocese de Santa Maria, no Santuário Basílica Nossa Senhora Medianeira. Com o TEMA: “Com Maria às pressas em missão” e o LEMA será: “Ó vem conosco, vem caminhar, Santa Maria, vem!”, o Reitor … Leia Mais



Campanha nacional contra o sarampo começa nesta segunda-feira


A Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo começa hoje (7) em todos os postos de saúde do país. Dois grupos de pessoas estão no alvo da nova campanha. O primeiro grupo é formado por crianças de seis meses até menores de 5 anos, cuja a vacinação vai desta segunda-feira até 25 de outubro, com o Dia D no dia 19.

O segundo grupo, com faixa etária de 20 a 29 anos e que não estão com a caderneta de imunização em dia, a vacinação está prevista para iniciar no dia 18 de novembro. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 2,6 milhões de crianças na faixa prioritária e 13,6 milhões adultos. Para isso, a pasta garantiu a maior compra de vacinas contra o sarampo dos últimos 10 anos. Ao todo, 60,2 milhões de doses da tríplice viral foram adquiridas para garantir o combate à doença nos municípios.

Dia D de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo.
Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo tem como meta vacinar 2,6 milhões de crianças. – Marcelo Camargo/Agência Brasil

“Vacina é um direito da criança. Ela não consegue ir sozinha a uma unidade de saúde para se vacinar. Pais, responsáveis, avós chequem a carteira de vacinação como ato de respeito e de amor”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Se estiver incompleta, leve a criança para tomar a segunda dose. Se a criança não tiver tomado nenhuma, ela deve tomar a primeira dose e, na sequência, a segunda”, explicou o ministro.

Para incentivar a vacinação de crianças, o ministério disponibilizará R$ 206 milhões destinados aos municípios que cumprirem duas metas estabelecidas pelo ministério. “Para receber esse recurso adicional, os gestores terão que informar mensalmente o estoque das vacinas poliomielite, tríplice viral e pentavalente e atingir 95% de cobertura vacinal contra o sarampo em crianças de 1 a 5 anos de idade com a primeira dose da vacina tríplice viral”.

Desde o início do ano, a pasta distribuiu 25,5 milhões de doses da vacina tríplice viral para garantir a todos os estados a vacinação de rotina, as ações de interrupção da transmissão do vírus e a dose extra chamada de dose zero a todas as crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias.

Vacinar contra o sarampo é importante para evitar complicações como cegueira e infecções generalizadas que podem levar a óbito. Por isso, o governo federal em parceria com os estados e municípios estão unindo esforços para vacinar 39,9 milhões de brasileiros, 20% da população, que hoje estão suscetíveis ao vírus do sarampo, de acordo com o Ministério da Saúde. Apesar da faixa etária de 20 a 29 anos concentrar a maior parte desses brasileiros (35%), são os menores de 5 anos o grupo mais suscetível para complicações do sarampo.

Dados 

No levantemtno divulgado até o dia 28 de agosto, o Brasil registrou 5.404 casos confirmados de sarampo e seis mortes, sendo quatro delas de pacientes menores de 1 ano. Dos casos confirmados nesse período, 97% (5.228) estão concentrados em 173 municípios do estado de São Paulo, principalmente na região metropolitana. Os outros 176 casos foram registrados em 18 estados: Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão, Paraná, Piauí, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Ceará, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco, Pará Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Goiás, Bahia, Sergipe e Distrito Federal.

*Com informações do Ministério da Saúde ( Agência Brasil) 


Nasa diz estar próxima de anunciar existência de vida em Marte


Jim Green, cientista-chefe da Nasa (agência espacial norte-americana), afirmou em entrevista para o The Telegraph, que a agência está perto de fazer anúncios sobre vida em Marte. Green prevê que a descoberta deve acontecer em algum momento nos próximos dois anos.

“Será revolucionário. Será como quando Copérnico disse ‘não, nós giramos em torno do Sol’. Completamente revolucionário. Vai começar uma nova linha de pensamento. Eu não acho que estamos preparados para os resultados. Não estamos”, afirmou Green.

Em julho do ano que vem, a Nasa planeja enviar mais uma sonda ao planeta, a ‘Mars 2020’. A previsão é de que ela tenha sucesso na busca por vida no Planeta Vermelho. Essa missão terá um custo estimado de US$2 bilhões, aproximadamente R$ 8 bilhões.

Além dela, a Agência Espacial Europeia (ESA), também enviará uma sonda ao planeta. A ‘ExoMars’ está programada para chegar em Marte nos primeiros meses de 2021.

Jim Green garante que as duas missões vão proporcionar uma “ótima oportunidade de encontrar vida”, e afirma que “nunca fomos tão longe” dentro do planeta.

Em junho de 2018, a Nasa anunciou ter encontrado indícios de vida antiga em Marte. Na época, moléculas orgânicas foram encontradas em rochas sedimentares de três bilhões de anos perto da superfície do Planeta Vermelho.

Infelizmente, teremos que aguardar mais um pouco para descobrir o que a ‘Mars 2020’ vai encontrar em Marte.

Nova expedição

Cinquenta anos depois de a missão Apollo 11 pousar na Lua pela primeira vez, chegou a hora de voltar. Novas viagens tripuladas estão previstas, além da criação de uma base orbital e da chegada da primeira mulher ao satélite. Qual é a razão de tudo isso? Se aproximar de um projeto de “Lua colonizável” e, assim, criar um lugar para fazer escala antes de chegar até Marte.

A Nasa quer estabelecer presença humana permanente na Lua na próxima década. A nave Gateway está em fase de projeto e deverá orbitar o satélite natural. Ela será um “escritório” para os astronautas a cinco dias de viagem da Terra.

A primeira parte da Gateway deverá ser lançada em 2022. Depois, o Sistema de Lançamento Espacial (SLS, sigla em inglês) levará dois novos módulos para acoplar à nave orbital. Toda essa infraestrutura será o núcleo para a exploração humana da Lua, transformando-a em uma base para a próxima missão. Os testes devem começar em uma missão não tripulada no ano que vem.

A viagem até a Lua é mil vezes mais distante do que até a Estação Espacial Internacional (ISS) – a atual estrutura de pesquisas na órbita da Terra. O próximo passo da Nasa será incentivar mais o uso de recursos privados para manter a ISS e investir dinheiro americano (de parceria público-privada) nas pesquisas lunares.

O governo deve incluir 1,6 bilhão de dólares (R$ 6 bilhões) a mais no orçamento da agência em 2020. As novas ferramentas, instrumentos e equipamentos implantados precisam abrir caminho para a chegada até Marte.

Jim Bridenstine, diretor-administrativo da Nasa, anunciou em abril deste ano que os planos de exploração têm duas etapas principais: levar a primeira mulher à Lua até 2024 e estabelecer missões sustentáveis até 2028.

Fonte Jornal O Sul (Foto: Nasa/Divulgação)


Feira do Livro de Júlio de Castilhos com palestra espírita nesta quinta-feira


A 29ª Feira do Livro Espírita, em conjunto com a 22º Feira Municipal de Júlio de Castilhos, inicia na proxima quinta-feira (03) e prossegue até o Sábado (05), na Rua Coberta e nas dependências do Centro Cultural Álvaro Pinto  e com palestras incríveis no Centro Cultural Álvaro Pinto.

E na abertura da Feira do Livro (05), acontece palestra com Cleto Brutes, no Centro Cultural Álvaro Pinto às 19:30 hs e logo após acontece o lançamento do livro “Em paz com a vida” do mesmo autor

 Cleto Brutes, em sua palestra espírita na 22ª Feira do Livro e 29ª Feira do Livro Espírita terá o tema do seu livro “Em paz com a vida

Cleto Brutes:

Natural de Giruá e atualmente residindo em Santo Ângelo, ambos municípios gaúchos, Cleto Vanderlei Macht Brutes é graduado em Ciências Contábeis, com especialização em Gestão Fazendária, e funcionário da Secretaria da Fazenda do Estado do Rio Grande do Sul. Habituado ao contato com os fenômenos espíritas, devido à mediunidade do pai, somente a partir de 1998 efetivamente vinculou-se aos estudos, através do Grupo Espírita Seara do Mestre, da mesma cidade onde reside. Referida instituição mantém intensa atividade de estudo e trabalho, edita um informativo e mantém um site repleto de informações espíritas.

A Feira do Livro é realizada pelo Governo Municipal através do Centro Cultural Álvaro Pinto, Casa de Cultura Francisco Salles, Biblioteca Pública Municipal Francisco Salles e Secretaria de Educação, junto com a Sociedade Espírita Fé, Esperança e Caridade.

Fonte Cleto Brutes (Portal skoob) Pesquisa


Dia do Idoso: envelhecer com qualidade de vida é possível


Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Dia Internacional do Idoso (hoje, 1º de outubro) é uma oportunidade para que as pessoas lembrem que a idade chega para todos, e que, com ela, novas dificuldades surgirão. Especialistas consultados pela Agência Brasil, no entanto, garantem: é possível envelhecer com qualidade de vida.

Segundo o médico geriatra e diretor científico da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) Renato Bandeira de Mello, qualidade de vida é algo subjetivo: depende da percepção do indivíduo sobre o que é felicidade.

Mas, em termos gerais, acrescenta o geriatra, qualidade de vida na velhice está associada a vida ativa: a busca por hábitos saudáveis como atividade física, alimentação saudável; e a manter a mente estimulada com novas atividades. Outro fator associado à qualidade de vida na terceira idade são as relações sociais.“Isso significa contato com a família, amigos e colegas de trabalhos”, resume Mello.

Família

O papel da família para a qualidade de vida do idoso, além de relevante, está previsto em leis. “Mais do que um papel, os familiares têm obrigação com os idosos. Isso, inclusive, é respaldado pelo Estatuto do Idoso”, explica o diretor da SBGG.

Nesse sentido, o estatuto prevê que a família se envolva nos cuidados e na proteção do idoso, “respeitando os seus limites e a autonomia a fim de não o cercear de suas liberdades e desejos”, acrescenta Mello.

Coordenadora-geral do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso, Eunice Silva destaca ser o ambiente familiar o que registra a maioria das violações de direitos da pessoa idosa. Segundo ela, entre os fatores que resultam em enfermidades, quedas, demência e internamentos prolongados estão a violência doméstica, os maus tratos e o abandono.

“É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do poder público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, educação, cultura, esporte, lazer, trabalho, cidadania, liberdade e dignidade, ao respeito e às convivências familiar e comunitária”, argumenta a coordenadora do conselho que é vinculado ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH),

Sociedade

De acordo com o médico geriatra e diretor da SBGG, no caso de idosos doentes que precisam de cuidado especial, além do apoio familiar é necessário o apoio da sociedade, que precisa estar atenta também às próprias mudanças que acontecem ao longo do tempo.

“Há que se pensar que, no futuro, os núcleos familiares serão menores. Precisaremos encontrar meios para construir uma sociedade que possa cuidar do idoso”, disse ao lembrar que a qualidade de vida dos idosos depende, ainda, de infraestruturas e de relações que enxerguem esse público não apenas como consumidor, mas como potencial colaborador.

“Bancos, lojas, mercados, transportes e outros serviços e estabelecimentos precisam buscar formas de inclusão, não apenas como consumidor, mas também como força de trabalho”, disse ele à Agência Brasil.

Políticas Públicas

Estar antenado com relação às políticas públicas pode ajudar a melhorar a qualidade de vida do idoso. No âmbito do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Eunice Silva destaca o Programa Viver – Envelhecimento Ativo e Saudável.

“Ele representa a aplicação, na prática, do Estatuto do Idoso”, explica a coordenadora, referindo-se ao documento que preconiza o envelhecimento como um “direito personalíssimo”, e que sua proteção representa um direito social.

Segundo Eunice, em 2019 a Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (SNDPI) tem atuado no sentido de levar, a capitais e municípios mais distantes, a inclusão na tecnologia digital para as pessoas idosas.

Na avaliação da coordenadora, esse tipo de tecnologia, que vem sendo disponibilizada pelo Programa Viver, representa um “instrumento libertador e emancipatório, voltado à autonomia e à ampliação dos limites da convivência familiar, da educação, da saúde e da mobilidade física”.

“A meta é implantarmos 100 programas no ano de 2019. O Programa Viver, conta com 202 municípios cadastrados”, explica Eunice. Para ter acesso ao programa nos municípios já implantados, basta aos idosos se cadastrarem nos centros de acolhimento do programa.

A SNDPI informa que tem atuado também para equipar e fortalecer os Conselhos de Direitos Municipais da Pessoa Idosa, por meio da capacitação de conselheiros no Programa Nacional de Educação Continuada em Direitos Humanos, na modalidade de Ensino a Distância (EAD).

Saúde

Entre as políticas públicas ofertadas pelo Ministério da Saúde (MS) aos idosos está a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa, que é oferecida gratuitamente a este público. Mais de 3 milhões de cadernetas foram entregues a municípios em 2018.

De acordo com a pasta, essa caderneta passou por algumas atualizações, que permitem melhor conhecer as necessidades de saúde dessa população atendida na atenção primária, de forma a melhor identificar o comprometimento da capacidade funcional, condições de saúde, hábitos de vida e vulnerabilidades.

A caderneta apresenta, ainda, orientações relativas alimentação saudável, atividade física, prevenção de quedas, sexualidade e armazenamento de medicamentos.

Em outra frente de ações – neste caso voltada a profissionais de saúde e gestores, ajudando-os na tarefa de melhorar a qualidade de vida dos idosos – o MS disponibilizou o aplicativo Saúde da Pessoa Idosa. Ele pode ser obtido gratuitamente por meio do Google Play.

Estatísticas

Dados apresentados pelo Ministério da Saúde apontam que atualmente, os idosos representam 14,3% dos brasileiros, o que corresponde a 29,3 milhões de pessoas.

Segundo o Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil) divulgado em 2018, 75,3% dos idosos brasileiros dependem “exclusivamente” dos serviços prestados no Sistema Único de Saúde (SUS). Ainda segundo o levantamento, 83,1% realizaram pelo menos uma consulta médica nos últimos 12 meses.

Tendo por base dados obtidos por meio da Pesquisa Nacional de Saúde, o MS informa que 24,6% dos idosos tem diabetes, 56,7% tem hipertensão, 18,3% são obesos e 66,8% tem excesso de peso.

As doenças do aparelho circulatório são a principal causa de internação entre idosos. Em 2018, foram 641 mil internações registradas no Sistema Único de Saúde (SUS) de pacientes acima de 60 anos.

Acidentes

De acordo com a SBGG, as principais causas de mortes acidentais de idosos são atropelamento e quedas, o que, segundo seu diretor, pode levar a consequências diretas, como lesões e fraturas, e indiretas, como medo de cair e isolamento social, entre outros.

“A maior parte das quedas da própria altura ocorrem em casa por falta de adaptação do ambiente, excesso de obstáculos, falta de barras de apoio, presença de piso sem antiderrapante e que são perigos contínuos na vida do idoso”, acrescenta o médico geriatra.

A fim de prevenir esse tipo de acidentes, que podem resultar em fraturas, traumatismo craniano, contusão muscular e, principalmente, o medo de cair novamente, o Ministério da Saúde listou uma série de dicas aos idosos (veja abaixo).

infrográficos, idosos, agência brasil

Fonte Por Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil  Foto Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil


30/09/2019: Dia Nacional do Jornaleiro:


Dia Nacional do Jornaleiro: O Jornaleiro acompanhou o progresso e desenvolvimento do mundo. Sabe tudo o que ocorre na região, conhece todos os fregueses pelo nome e profissão e até dados da vida pessoal. É o vendedor da banca que vende jornais e revistas na rua. A palavra “jornal” tem sua origem no latim “diurnális”, que significa “dia”, “diário”, ou seja, o relato de um dia de atividades. Dela surgiram duas expressões: jornalista e jornaleiro. O jornaleiro garantiu ao longo de séculos a circulação da notícia. Em boa parte dos séculos XIX e XX de nada adiantariam jornalistas sem os jornaleiros. A partir de meados do século XIX nos EUA, milhares de meninos passaram a entregar os jornais nas ruas, sendo chamados então de jornaleiros.  Não havia esquina em que eles não estivessem, e pela primeira vez os jornais ganhavam circulação em grandeza. Os jornaleiros surgiram no Brasil há quase 150 anos, tendo começado com os negros escravos que saíam pelas ruas gritando as principais manchetes estampadas no primeiro jornal avulso, vendido no país (1858), “A Atualidade”. A atividade se ampliou com os imigrantes italianos, sendo eles chamados de “gazeteiros”. Não tinham ponto fixo e perambulavam pela cidade com pilhas de jornais amarrados nos ombros.  Segundo a história foi um imigrante italiano, Carmine Labanca, quem primeiro montou um ponto fixo no Rio de Janeiro – razão para muitos associarem o nome dos pontos-de-venda (”banca”) ao sobrenome do fundador. Os jornais eram vendidos em caixotes de madeira, que evoluíram para bancas de madeira por volta de 1910, sendo que nos anos 50 elas foram paulatinamente substituídas pelas bancas de metal. A regulamentação das bancas veio com o então prefeito de São Paulo, Jânio Quadros, em 1954. Atualmente, eles vendem outras coisas como: guloseimas, bebidas, CDs, fitas de vídeo, DVDs, material de escritório, selos para correspondências,  sorvetes, às vezes, presta serviços como fotocópia, reforma de livros e encadernação. Essa é uma boa alternativa para o aumento do faturamento, pois com a Internet surgiu um novo concorrente, o jornaleiro eletrônico.
Imagem reprodução redes sociais Fonte: http://www.iperon.com.br/n/?a=5&b=1066