Agricultura de Júlio de Castilhos contabiliza perdas com a falta de chuva


A falta de chuvas começa a revelar prejuízos no setor do agronegócio estadual e local. São muitos os efeitos da escassez de chuvas, em especial sobre a produção de soja, milho e leite.

Uma reunião do Conselho Agropecuário, realizado na Secretaria Municipal da Agricultura no último dia 08, mapeou as perdas decorrentes em virtude da estiagem prolongada, estimadas em áreas totais e valores aproximados conforme segue:

SOJA

Área Total: 100.000 hectares  – Perdas estimadas: 35%  – Valor da Perda: R$ 136.500.000,00

MILHO

Área Total: 1.500 hectares  –  Perdas estimadas: 75%  – Valor da Perda: R$ 6.781.250,00

LEITE

Número de Produtores: 250  –  Perdas estimadas: 30% (dez/19 a jan/20) – Valor da Perda: R$ 1.620.000,00

Conforme números do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de 2018, apresentados pelo projeto SOJA BRASIL na última semana, foram elencados os 20 municípios maiores produtores de soja na região Sul do Brasil. Júlio de Castilhos ficou na 3ª classificação (332 mil toneladas), atrás de Tibagi/PR (396 mil toneladas) e Tupanciretã/RS (478 mil toneladas). Estas posições significativas no ranking podem ser comprometidas no próximo período, se a estiagem prosseguir.

O Prefeito João Vestena encontra-se em Porto Alegre nesta quinta-feira (09) em reunião convocada pela FAMURS, com a presença de diversos prefeitos, tendo como pauta a situação de emergência em que se encontram diversos municípios gaúchos, em decorrência da seca. A reunião terá a participação da Secretaria Estadual da Agricultura, Defesa Civil do Estado e Federações ligadas ao agronegócio.

Fonte e foto PMJC